Facebook SDK

A jovem teve auxílio do seu namorado e da própria técnica que vendeu as medicações

Grávida de 7 meses morre após usar medicamento abortivo
Jovem morreu após usar medicação para abortar aos 7 meses de gravidez em Votorantim — Foto: Reprodução/ Facebook

Ana Carolina Pereira Pinto, de 20 anos, morreu após usar medicações para interromper uma gestação de 27 semanas. Ela e o namorado, Kevin Williams, de 22 anos, decidiram não seguir com a gravidez devido a "pouca idade e experiência", eles compraram um 'kit aborto' pela internet no valor de R$ 1.400. O caso foi registrado na terça-feira (26), em Votorantim, São Paulo.

Segundo o namorado, a vítima teria feito pesquisas sobre métodos abortivos. Ele chegou a comentar sobre os riscos das substâncias, mas, em um consenso, o casal optou por fazer a compra no valor de R$ 1.400, transferido via PIX. A encomenda foi entregue na casa do rapaz e os dois combinaram de realizar o procedimento em um pousada no bairro Campolim, na Zona Sul de Sorocaba.

No dia seguinte, ambos foram trabalhar e, perto do fim do turno, Ana Carolina teria reclamado de dores de cabeça e cólicas. De acordo com o registro, as dores pioraram e surgiram dor no estômago e vômitos. "Minha barriga parece que vai explodir", relatou ela para o parceiro. A jovem chegou a cogitar pedir ajuda aos seus pais, mas Kevin teria pedido para ela manter a calma por achar que a situação não era grave. Ela continuou a insistir, mas o namorado pediu para que não o fizesse. Conforme ele, foram quatro injeções aplicadas na barriga e todo o manuseio de como injetar foi explicado pela técnica que vendeu o produto. Por volta das 4h de terça-feira (26), ele recebeu a ligação sobre a morte da namorada.

Continua depois da publicidade


Ele foi preso em flagrante por crime contra a vida devido provocar o aborto com o consentimento da gestante. Como está colaborando com as investigações e não tem antecedentes criminais, o rapaz será investigado em liberdade. "O mesmo está colaborando com a toda a investigação, para que haja a apuração de todos os fatos e eventual responsabilização pelos atos praticados e que irá se pronunciar em momento oportuno", declarou o advogado de Kevin.

Segundo a polícia, a perícia vai apontar qual foi a medicação usada pela jovem.

Com informações do G1

Inscreva-se no canal do Mídia em Ação no Youtube e visite as nossas páginas no Facebook, Twitter, Instagram e Vimeo!

Deixar comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Continua depois da publicidade

Publicidade