Jornais confirmam denúncia de espionagem contra Governo feita por jornalista

Após denunciar a espionagem em julho do ano passado, o jornalista Allan dos Santos foi atacado pela grande mídia e chamado de "lunático" nas redes sociais.

Jornais confirmam denúncia de espionagem contra Governo feita por jornalista
Foto: Reprodução

| Por: Diógenes Freire (Publicado em 26.04.2021 no site Estudos Nacionais)

Com quase um ano de atraso e sem citar o jornalista Allan dos Santos, a grande mídia confirmou a denúncia feita pelo jornalista de que “maletas de grampo” estariam sendo usadas para espionar o presidente Jair Bolsonaro. A espionagem “descoberta” pela grande mídia no último domingo (25) foi denunciada por Allan dos Santos em julho de 2020 durante uma live organizada pela deputada Bia Kics.

$ads={1}

Segundo apuração do jornalista, tratava-se de um “conluio” entre o presidente da Câmara dos Deputados na época, Rodrigo Maia (DEM), o ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM) e ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Tribunal de Contas de União (TCU) para derrubar Bolsonaro.

Após denunciar a conspiração, o jornalista foi atacado pela grande mídia e chamado de “lunático” nas redes sociais. Devido à gravidade da denúncia e zelando pela segurança da família, Allan dos Santos teve que buscar exílio nos Estados Unidos.

Ontem (25), a Veja disse ter confirmado a existência das “maletas” com fontes militares. De acordo com a revista, “a preocupação levou alguns auxiliares do presidente a trocar de número de celular. Uma fonte militar revelou […] que, além da Esplanada, o sinal dos aparelhos foi localizado nas proximidades da área militar onde ficam os comandos das Forças Armadas”.

Ao comentar sobre o caso, o filósofo Olavo de Carvalho lembrou que os mandantes da tentativa de assassinato do Bolsonaro também continuam soltos e “protegidos”. “Nunca houve, no Brasil, pessoas tão bem guardadas e protegidas quanto os mandantes do Adélio. São jóias, tesouros, preciosidades da espécie humana. Seus únicos concorrentes apareceram agora: os hominhos das maletas. Ninguém tocará neles”, escreveu Carvalho em seu Twitter.

Entenda a denúncia

De acordo com a denúncia do jornalista Allan dos Santos feita em julho do ano passado, a empresa Rohde & Schwarz foi contratada por um funcionário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para fazer uma varredura e identificar a existência de “maletas de espionagem” em Brasília.

A empresa descobriu maletas de escuta telefônica em três locais: Nas embaixadas da Coréia do Norte e da China e na casa do advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, mais conhecido como “Kakay” – o advogado mora na região da QL-4. Apesar da descoberta, o TSE não comunicou o Governo Federal sobre as maletas, o que segundo Allan dos Santos comprovaria a existência de um “conluio” para cassar o presidente da República.

“Recebi a informação de que houve uma reunião na QL-4 com Barroso, Davi Alcolumbre, Rodrigo Maia, um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e um ministro o Tribunal de Contas da União (TCU) que planejava fazer alguma coisa contra o presidente e contra seus apoiadores”, disse Allan dos Santos ao Pingos nos Is à época.

$ads={2}

Veja a denúncia no vídeo abaixo:

No dia 11 de abril deste ano, Allan dos Santos publicou em seu Twitter o trecho de uma live que teve como participantes o ministro do STF, Alexandre de Moraes, e o advogado Kakay. Ambos acusados de fazerem parte da conspiração contra o Presidente da República.

“O que fizeram com as informações que passei sobre algumas personalidades abaixo? Parou na PGR e lá ficou. Na vida é assim: quando quem pode agir nada faz, começa a ser tratado como derrotado e os inimigos ganham coragem. Fiz minha parte, @jairbolsonaro“, escreveu o jornalista.


Inscreva-se no canal do Mídia em Ação no Youtube e visite as nossas páginas no Facebook, Twitter, Instagram e Vimeo!

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE