Facebook SDK

Polícia estava monitorando celular que foi roubado de uma das propriedades por onde ele passou

Lázaro criou perfil falso para acompanhar notícias usando celular roubado
Lázaro usa celular roubado para criar fake no Facebook e olhar notícias sobre sua fuga — Foto: Reprodução/ Internet

Segundo uma reportagem do portal Metrópoles, Lázaro Barbosa, procurado há 18 dias, usou um celular roubado de uma de suas vítimas para criar um perfil fake no Facebook e pesquisar notícias sobre sua fuga. O "serial killer de Brasília", é o principal suspeito de ter matado uma família em Ceilândia, no Distrito Federal. 

$ads={1}


De acordo com o portal, a polícia estava monitorando o telefone que foi levado pelo suspeito no último dia 15, quando ele invadiu uma chácara e fez três pessoas da mesma família reféns. As vítimas foram resgatadas e houve uma troca de tiros. Após conseguir escapar do cerco policial na fazenda, Lázaro ficou até 18 de junho com o aparelho enquanto se escondia no meio da mata.

Os policias descobriram que o suspeito criou um perfil fake com nome de Patrik Souza, usado para acompanhar notícias do caso nas redes sociais, segundo os investigadores. Ainda de acordo com o portal, no perfil encontrado consta apenas um amigo: uma adolescente que mora no mesmo bairro de parentes de Lázaro, em Águas Lindas (GO).


Fazendeiro e caseiro seriam cúmplices de Lázaro

Dupla foi presa na quinta-feira (24) e encontrada com uma arma que Lázaro já utilizou. Perímetro de buscas ao criminoso fica mais estreito

Na tarde de quinta-feira (24), a força-tarefa que procura por Lázaro Barbosa de Sousa prendeu um fazendeiro e um caseiro. A dupla estaria acobertando Lázaro, foragido há 17 dias.

O fazendeiro é Elmi Caetano Evangelista, 74 anos, e o caseiro é Alain Reis de Santana, 33 anos. A dupla foi vista ontem em um carro na região de Girassol-GO e desobedeceu ordem de parada. Os policiais saíram na busca e capturaram os criminosos. No veículo, havia duas armas, e uma teria sido usada por Lázaro em dias anteriores.


“Uma das armas é a arma que ele [Lázaro] furtou possivelmente em uma das residências [invadidas nestas duas semanas]. Uma garrucha calibre 22 com 50 munições. E ele foi visto com essa garrucha na mão”, aponta o secretário de Segurança Pública do Goiás, Rodney Miranda.

O secretário não pode dar detalhes devido ao andamento das investigações e nem pode afirmar que a dupla presa auxiliou Lázaro na chacina do Incra 9 no último dia 9 de junho. Porém, Rodney Miranda afirma que são fortes as suspeitas de que os criminosos estiveram com Lázaro em outros crimes. “Dois psicopatas, certamente, porque, para ajudar psicopata, tem que ser psicopata.” Eles serão autuados por porte ilegal de arma de fogo e auxílio na fuga de presos.

Para Miranda, há uma espécie de rede criminosa que apoia Lázaro e, portanto, a dupla presa nesta quinta (24) não seria a única envolvida. “Quem facilita a vida de foragido comete crime. Nós temos indícios que há outras pessoas ajudando e nós vamos chegar nelas. Nós temos toda a tranquilidade para trabalhar”, cravou o secretário.


Quanto às buscas por Lázaro, o perímetro, agora, ficou menor e se concentra próximo do local onde os auxiliares de Lázaro foram presos. “Desde o início eu tenho falado que a gente tem trabalhado para ir reduzindo essa área. Hoje nós estamos com uma área bem menor do que no início e temos a expectativa de ele [Lázaro] estar em algum dos pontos que nós estamos. Já mandei saturar toda a área e vamos ficar lá até ele sair.”.

Qual é a identidade do serial killer?

Lázaro Barbosa, de 32 anos, na cidade de Barra do Mendes, no sudoeste da Bahia. Seus primeiros registros na ficha criminal foram aos 19 anos de idade. A extensa lista inclui homicídio, estupro, roubo, latrocínio e porte ilegal de arma de fogo.


Um laudo criminológico divulgado pelo G1 aponta que o homem tem uma personalidade agressiva, ausência de mecanismos de controle, dependência emocional, impulsividade, instabilidade emocional, possibilidade de ruptura do equilíbrio, preocupações sexuais e sentimentos de angústia”.

As autoridades afirmam que Lázaro tem total consciência de suas ações, o que o caracteriza como assassino em série. “Percebe-se que todos os crimes cometidos estão diretamente relacionados à dependência química, fato do qual o periciando não tem autocontrole, haja vista uso abusivo de bebida alcoólica antes de sua reclusão e vício no crack após a prisão”.


$ads={2}

Com informações do Metrópoles, G1, Jornal de Brasília

Inscreva-se no canal do Mídia em Ação no Youtube e visite as nossas páginas no Facebook, Twitter, Instagram e Vimeo!

Deixar comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Continua depois da publicidade

Publicidade